sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Movimento em defesa do povo de Jundiaí é lançado

Discurso de B.A., presidente do PSOL
Com a presença do senador Eduardo Suplicy (PT), do deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB) e representantes de entidades e partidos políticos de esquerda de Jundiaí, foi lançado nesta sexta-feira (18) o ‘Movimento Jundiaí Livre – Porque a Cidade é um Direito de Todos!’. O evento aconteceu na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região e foi organizado pelo PCdoB, PT, PSOL e União da Juventude Socialista (UJS).

Auditório da Associação dos Aposentados ficou tomado por simpatizantes do movimento
Na ocasião, o movimento apresentou um manifesto que critica o modo como o município é governado nos últimos 20 anos e ataca principalmente a falta de planejamento e a especulação imobiliária - fatores que refletem diretamente na vida da população.

Tércio Marinho, presidente do PCdoB de Jundiaí, fala sobre os objetivos do movimento
Um dos objetivos do ‘Jundiaí Livre’ é a inserção da população jundiaiense em debates de ações que interferem diretamente no município, além de estruturar o projeto para o futuro do município.

Faixa da UJS em apoio ao Movimento Jundiaí Livre
No discurso, Suplicy prestou homenagens aos ex-vereadores petistas Antônio Galdino e Erazê Martinho (falecido), a quem classificou como “extremamente combativos”. O senador também mostrou-se atualizado em relação ao que acontece no município. “Tenho lido reportagens de como o hospital daqui está superlotado.”

O deputado Bigardi declara seu amor por Jundiaí e preocupação com o futuro da cidade
E fez elogios à iniciativa do movimento: “Li com atenção o manifesto e achei que faz todo sentido. Tem muito a ver com nosso anseio maior: criar em Jundiaí um lugar onde toda pessoa tenha voz, que possa questionar o que é feito com o dinheiro que vem do próprio povo.”

Para a vereadora Marilena Negro é preciso resgatar a militância de esquerda
FRASES

“Esse é um momento histórico para a cidade e o movimento diz para que nós viemos: promover a possibilidade do município se ver, discutir o que quer para o futuro.”
- Tércio Marinho, Presidente Diretório Municipal PCdoB

“Questionar o que parece que está a salvo de qualquer tipo de crítica. Temos de conscientizar a população, ganhar corações e mentes para que possamos construir uma cidade mais justa e igualitária.”
- B.A., Presidente Diretório Municipal PSOL

Paulo Malerba, presidente do PT Jundiaí
 “Jundiaí precisa se livrar do modelo de cidade que veda a participação popular, que ignora os problemas como trânsito ruim, transporte público inadequado, pressão sobre a Serra do Japi e  insuficiente infraestrutura de Saúde.”
- Paulo Malerba, presidente PT Jundiaí

“Tenho certeza de que este movimento dará frutos. Com esta união, conseguiremos realmente uma cidade melhor.”
- Edegar de Assis, presidente Associação dos Aposentados Jundiaí e Região

“Quando se está no poder há tanto tempo, perde-se a noção da crítica, do certo e do errado. Vejo na Câmara esses erros da Prefeitura e reajo!”
- Marilena Negro, vereadora PT

Senador Suplicy prestigia o movimento
“É possível construir um novo projeto político com estas pessoas que estão no poder? Não! Somos nós quem realmente amamos Jundiaí, não eles. O interesse deles é outro: Jundiaí virou um loteamento para essa gente, que só quer saber dos negócios imobiliários.”
- Pedro Bigardi, deputado estadual PCdoB

“Vamos criar em Jundiaí um lugar onde toda pessoa tenha voz, que possa questionar o que é feito com o dinheiro que vem do próprio povo.”
- Eduardo Suplicy, senador PT

4 comentários:

Antonio Carlos disse...

Pessoal não se intimidem com os comentários dos Jornais da Cidade de Jundiaí.

Eles vão deturpar o nosso Movimento.

Cada um deve divulgar a verdade.

Usem o adesivo!

Antonio Carlos disse...

Minha Jundiaí...

http://letras.terra.com.br/biquini-cavadao/44591/

Centro disse...

Há um encanto pelos que chegam e se assentam em lugares ajustados pelos donos do poder e que começam a cantar a mesmas canções dos que ordenam a rápida destruição.
Desfazem dos que criaram com trabalho, durante anos, a tranquilidade de nossos filhos.
Em 400 anos de história está se acabando em tijolos durante os 20 anos de hegemonia da compra fácil dos desvalidos.
Agora entrará em bancarrota, todos os que se iludem e riem dos lutadores deste movimento considerando-os um fracasso.
Grandes impérios fracassaram simplesmente por desviarem o curso do rio, possibilitando a tomada das cidades enquanto poderosos festejam dentro das fortalezas.
Somo ao prazer da maioria, de em breve ver os traídores da nossa terra enchergarem a podridão existente, pelos que apresentam um aparente crescimento.
Jundiaí livre JÁ.JÁ.JÁ.

cesar tayar disse...

Certa vez eu estava almoçando em um restaurante do centro da cidade com o então vereador Erazê Martinho, de saudosa memória. Na ocasião conversávamos sobre a política da cidade, dentre outras coisas. Naquela época ele havia discutido com o Antonio Galdino e os dois estavam meio brigados. Então perguntei ao Erazê o por que desta briga já que os dois eram companheiros de jornada dentro do PT. O Erazê, com a sua irreverência peculiar, respondeu o seguinte: " Tayar, o Galdino nasceu para mandar e eu nasci para desobedecer. Então não tem acordo ". É claro que depois as coisas se resolveram e os dois voltaram às boas. Porém, esta colocação do amigo Erazê é muito pertinente para dias de hoje, ou seja, os coronéis do PSDB querem mandar e todos nós queremos desobedecer. Este movimento será, sem dúvida, uma enorme corrente de desobediência civil à este lixo político que nos governa há 20 anos. O que é preciso fazer é retirarmos as pessoas de bem de Jundiaí de sua zona de conforto e colocá-los na arena para a luta que se avizinha. Se isso acontecer, Bye Bye PSDB.